“Ocultação” de Vênus (08/09/2013)

Tags

, , ,

Alguns meses bastante atarefado com as aulas da universidade, só agora que sobra um tempinho para escrever. Quero mostrar as imagens registradas na última observação realizada no domingo passado (08/09) na Chácara Schneider, com a companhia dos amigos Rodrigo e Lucineia.

Nas fotos a seguir poderá ver o movimento da Lua em relação a Vênus. Como pode ver, no Mato Grosso não houve ocultação.

Estas são imagens do Pôr do Sol neste dia…

Fotografia: Everton Botan.

Fotografia: Everton Botan.

Fotografia: Everton Botan.

Fotografia: Everton Botan.

“Dança” dos Planetas

Tags

, ,

Olá Pessoal,

Durante as duas semanas anteriores, de sexta-feira (24 de maio) até o dia 31 de maio, também sexta-feira, acompanhamos a mudança progressiva da posição no céu dos planetas Mercúrio, Vênus e Júpiter. Por dificuldades climáticas (tempo chuvoso) não esperadas para esta época do ano no interior do Mato Grosso, especialmente aqui em Sinop, não conseguimos registro da conjunção para dois dias (29 e 30 de maio).

Observar sistematicamente a mudança com o passar dos dias nos permitiu vivenciar uma experiência que aos olhos do dia-a-dia passaria sem qualquer contemplação e reflexão. Mostro a vocês uma colagem das melhores imagens de cada dia e em seguida uma sequência destas ampliadas para que visualize na forma de uma apresentação.

Colagem "Dança" dos Planetas.

Colagem “Dança” dos Planetas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Quer ver cada foto de mais de “perto”:

Foto de 24 de maio. Fotografia: Everton Botan.

Foto de 24 de maio. Fotografia: Everton Botan.

Foto de 25 de maio. Fotografia: Everton Botan.

Foto de 25 de maio. Fotografia: Everton Botan.

Foto de 26 de maio. Fotografia: Everton Botan.

Foto de 26 de maio. Fotografia: Everton Botan.

Foto de 27 de maio. Fotografia: Everton Botan.

Foto de 27 de maio. Fotografia: Everton Botan.

Foto de 28 de maio. Fotografia: Everton Botan.

Foto de 28 de maio. Fotografia: Everton Botan.

 

Foto de 31 de maio. Fotografia: Everton Botan.

Foto de 31 de maio. Fotografia: Everton Botan.

 

Fotografando Planetas…

Tags

,

Introdução

Deseja conseguir aquela foto legal de Saturno, de Júpiter ou da Lua? Se a resposta é sim e você não tem preguiça para fazer um mesmo trabalho repetidas vezes até ficar bom, então continue com a leitura deste “pequeno” tutorial. Espero que ao final dele, poderá fazer um pouco mais de Astrofotografia.

Fotografia e processamento: Everton Botan

Fotografia e processamento: Everton Botan.

Este tutorial é pensado para quem possui alguns equipamentos mínimos como pré-requisito, são eles:

  • telescópio/luneta;
  • máquina fotográfica digital compacta;
  • adaptador para máquina fotográfica (podes fabricar um);
  • um computador com os programas RegiStax, Avidemux e Gimp instalados;

Para trabalhar com a edição das imagens precisamos inicialmente entender um aspecto na captura da imagem. Nesse tutoria pressupõe-se que o leitor possua um telescópio do tipo dobsoniano ou com montagem equatorial não motorizada. Neste tipo de montagem o objeto a ser observado passará através do campo de visão enquanto todo o conjunto permanece estático. Sendo assim, não poderemos deixar a máquina em exposição sobre o corpo celeste e precisaremos gravar um vídeo, de preferência na maior qualidade possível. Dependendo do objeto observado será necessário manipular algumas funcionalidades da máquina, especialmente a exposição (que na maioria das máquinas compactas varia de -2 eV a + 2 eV), a fim de controlar a sensibilidade excessiva. Estas funcionalidades o astrofotógrafo amador deverá obter experimentando, pois não é objetivo inicial instruir sobre o uso da máquina fotográfica.

Após obter o vídeo, que será algo similar ao exposto abaixo, passaremos ao estágio de editoração.

No processo de editoração precisaremos de alguns programas, e como de costume, trabalharemos apenas com programas gratuitos. Mas se desejar usar os programas pagos os procedimentos são similares.

Inicialmente vamos às apresentações:

Avidemux

Captura de tela de 2013-02-10 12:57:18

Avidemux com o vídeo de Júpiter carregado.

Avidemux é um programa livre para editoração de vídeo. Apenas algumas funcionalidades deste programa serão abordadas, em especial o de recorte e exportação de frames (quadros).

Obtenha-o aqui: <fixounet.free.fr/avidemux/>

RegiStax

RegiStax

RegiStax.

RegiStax é um programa específico para editoração de imagens em Astronomia, mais especificamente para tratamento de imagens de objetos como planetas e Lua. Este programa possui inúmeras opções de configurações. Neste tutorial iniciaremos aprendendo a utilizar algumas de suas funcionalidades e com o tempo, você astrofotógrafo amador, desenvolverá as habilidades no manuseio das demais funções – a intenção aqui é aprender a utilizar principalmente as ferramentas básicas para obtenção de uma imagem satisfatória. Confesso que não conheço todas as funcionalidades, mas espero contribuir principalmente para quem está iniciando neste campo.

Obtenha-o aqui: <http://www.astronomie.be/registax>

Gimp

Gimp.

Gimp.

Já o Gimp é um programa para editoração de imagens com inúmeras e poderosas funcionalidades. Daremos ênfase no uso das funções de recorte e níveis e curvas de cores.

Obtenha-o aqui: <www.gimp.org/>

Melhores detalhes sobre cada programa podem ser obtidos nas páginas dos desenvolvedores e fóruns especializados na internet. Passaremos então para a etapa de descrição do uso das ferramentas de cada programa.

Salvando os quadros usando o Avidemux

Após a captura do vídeo abre-se o vídeo com o uso do programa Avidemux. Utilize, dependendo da resolução do vídeo a opção visualizar (menu view) zoom 1:2 para que o quadro da imagem fique todo presente na janela do programa, conforme a figura a seguir:

Avidemux - opção de zoom 1:2.

Avidemux – opção de zoom 1:2.

Observe a barra inferior onde está presente a linha do tempo e uma série de botões. Vamos à descrição dos botões úteis para nós:

Barra de funções do Avidemux

Barra de funções do Avidemux.

Utilizando o botão de início de reprodução e os de avançar e retroceder quadros navegue pelo vídeo até observar estabilidade, nitidez e foco na imagem. Quando obter estas qualidades pare o vídeo e marque o quadro/frame inicial usando o botão de marcação de frame inicial. Em seguida reproduza novamente o vídeo até observar que a imagem perde qualidade. Retroceda alguns quadros com os botões de avançar ou retroceder quadros e marque o quadro/frame final com o botão de marcação de frame final. Veja o resultado na figura a seguir:

Captura de tela de 2013-02-10 14:20:07

Marcando quadros inicial e final para recorte.

Agora com os quadros inicial e final marcados utilize a opção recortar (cut) para recortar a parte do vídeo desejada. Observe na imagem a seguir a visualização da opção recortar:

Opção cortar no Avidemux.

Opção cortar no Avidemux.

Com o vídeo recortado passamos para a etapa de exportação dos quadros na forma de imagens (arquivo.jpeg). Para tanto, precisamos utilizar a opção salvar seleção como imagens jpeg, acompanhe pela imagem a seguir:

Salvando os quadros.

Salvando os quadros.

Nas janelas que se seguem, crie uma pasta para as imagens, escolha um nome e salve os quadros. Após este procedimento, daremos início à descrição do uso do RegiStax.

Trabalhando na fotografia de planetas com o RegiStax

Com o uso do RegiStax conseguiremos “somar” todos aqueles quadros salvos por meio do Avidemux. Primeiro devemos conhecer os botões que iremos utilizar. A maioria das opções, neste momento, serão aceitas como elas são expostas pelo programa, ou seja, utilizaremos as configurações padrões do programa.

Utilizando o botão Selecionar (Select) carregue todos os quadros exportados pelo Avidemux. Ao clicar neste botão abrirá uma nova janela que permitirá navegar até a pasta na qual você salvou os quadros. Nesta janela escolha na caixa “Arquivos do tipo” a opção “Still frame(s) (*.jpg)”, conforme podes observar na imagem a seguir.

Captura de tela de 2013-03-10 22:11:53

Caixa de seleção de imagem RegiStax.

Obs.: Esta janela de abertura de imagens permite a escolha de diversas imagens ao mesmo tempo. Assim, marque a primeira imagem, vá até a última, pressione a tecla shift do teclado e marque a última imagem. O programa irá selecionar todas as imagens no intervalo. Esta tarefa pode levar certo tempo dependendo do computador e da quantidade de imagens

Selecionado todas as imagens que desejamos somar, daremos início ao uso de algumas funcionalidades do RegiStax. Como já mencionado, não modificaremos as configurações padrões do programa, apenas trabalharemos com as tarefas essenciais para a edição de uma boa imagem de um planeta.

A primeira das funcionalidades do RegiStax é a seleção de pontos para alinhamento (Set Alignpoints). O programa buscará uma série de pontos para tomar como referência para o alinhamento das imagens. Você também pode inserir mais pontos se desejar, clicando na região desejada da imagem. Veja o resultado:

Definição de pontos para alinhamento.

Definição de pontos para alinhamento.

Após definir os pontos de alinhamento pressione o botão Alinhar (Allign). Este processo pode levar certo tempo.

Após o alinhamento você precisa definir o número limite de quadros a serem utilizados. Para isto basta pressionar o botão Limite (Limit), ao lado do botão Alinhar (Allign). Acompanhe na figura:

Definindo o número limite de frames (quadros).

Definindo o número limite de frames (quadros).

Em seguida você será direcionado para a aba de empilhamento (Stack) na qual você irá empilhar as imagens a fim de obter uma única imagem com maior qualidade. Pressione o botão Empilhar (Stack) e aguarde o resultado, que deve ser similar ao seguinte:

Resultado do empilhamento dos quadros.

Resultado do empilhamento dos quadros.

Note que a imagem ainda apresenta estar desfocada e sem contraste, nela mal podemos distinguir, por exemplo, a Divisão Cassini nos anéis de Saturno. É necessário equalizar a imagem e, para tanto, selecione a aba de Equalização (Wavelet) e utilize as opções contornadas em vermelho, da figura abaixo, para ajustar a imagem a fim de obter o melhor contraste e nitidez na imagem, retirando o ruído e definindo as bordas.

Ferramentas de equalização do RegiStax

Ferramentas de equalização do RegiStax

Após ajustar para uma melhor definição da imagem, pressione o botão Fazer Tudo (Do All) e salve a imagem. Em seguida recorte a região de interesse com um editor de imagem – Gimp.

 

Usando o GIMP para a equalização final

Após salvar a imagem com o RegiStax devemos recortar a região que nos interessa. Para fazer isso abra o Gimp e selecione a imagem para edição. Veja como ficou:

Captura de tela de 2013-03-10 23:16:59

Imagem aberta para edição no GIMP.

Agora selecione a ferramenta de seleção no canto superior esquerdo como mostra a figura abaixo e selecione a área da figura que lhe é interessante. Acompanhe as figuras a seguir:

Ferramenta de Seleção Retangular do Gimp.

Ferramenta de Seleção Retangular do Gimp.

Área selecionada para recorte.

Área selecionada para recorte.

Agora acesse a função “Recortar para a seleção” no menu “Imagem” conforme a imagem a seguir e, após, exporte o resultado.

Função "Recortar para a Seleção" no Gimp.

Função “Recortar para a Seleção” no Gimp.

Resultado Final

O resultado será uma imagem similar a esta:

Imagem de Saturno processada.

Imagem de Saturno processada.

Bom divertimento a todos!

Júpiter nesse Domingão

Tags

, , , ,

Ontem à noite, durante a festa de casamento de um amigo, fiquei observando Júpiter que estava com um brilho incrível. Contudo o cansaço foi maior e não tive coragem de levar o telescópio para a varanda.

Mas hoje, na espera de um céu limpo como ontem, montei o telescópio ainda ao fim da tarde para fazer os ajustes necessários. Então, fiz pelo menos uma dúzia de vídeos acoplando a máquina fotográfica ao telescópio. Esse abaixo foi o que apresentou melhor foco e menores aberrações.

Deste vídeo, utilizando os programas Avidemux e RegiStax, obtive a foto abaixo. Em momento oportuno farei um tutorial para explicar o uso do RegiStax, mas ainda não considero ter as habilidades necessárias com as funções deste programa. Esta foto, de longe, foi a melhor que consegui até este momento. Apreciem!

Fotografia e processamento: Everton Botan

Fotografia e processamento: Everton Botan. Na foto, o ponto à esquerda é a lua Ganimedes e a sombra projetada em Júpiter se refere à lua IO.

 

Júpiter – 17 de Outubro de 2012

Tags

, , , ,

Fotografias: Everton Botan

Filtro solar: uma adaptação para o GSO 203mm

Tags

, ,

Construção do filtro

Pessoal, depois de algumas semanas na correria com a dissertação de mestrado consegui uma brecha para escrever um pouco. Chegou hoje a folha do filtro solar que recentemente adquiri e também já adaptei um suporte para o telescópio. Consegui uma tampa plástica numa oficina mecânica que coincidentemente tem o diâmetro exato do telescópio. Veja o resultado nas imagens seguintes.

Filtro solar adaptado – vista externa.

Filtro solar adaptado – vista interna.

Primeiro teste – 9 de Outubro

Estas são as primeiras imagens obtidas:

Sol

Fotografia: Everton Botan.

Sol

Fotografia: Everton Botan.

Segundo teste – 11 de Outubro

Feliz Aniversário mano!

Fotografia: Everton Botan

 

Monte seu planisfério celeste

Tags

, , ,

Boa tarde.

Quem nunca se deparou com a dificuldade de identificar as constelações no Céu?

Pois então, tudo fica mais fácil com o uso de um planisfério celeste. Este instrumento constitui em uma representação planificada do Céu que mostra as estrelas visíveis numa determinada latitude. Neste post apresentamos um modelo de planisfério celeste elaborado pelo grupo do Planetário da UFRGS.

O manuseio do planisfério é simples, basta identificar a face adequada – Norte ou Sul – e apontar em uma das direções: com a face Sul aponta-se para o Sul; com a face Norte deve-se apontar para o Norte. Após se orientar de acordo com a face, gire a mascara com as constelações para que a hora local e o dia do mês coincidam. Assim, na janela serão mostrados as constelações visíveis quando se olha para o Sul ou para o Norte. Por exemplo, ao olhar para o Sul as constelações visíveis perto do horizonte a leste estarão à esquerda na janela; já as constelações visíveis perto do horizonte a oeste estarão à direita na janela; e as constelações acima da cabeça estarão na parte superior da janela.

Este modelo pode ser construído com materiais simples: quatro folhas de papel cartão, duas folhas transparentes para retro-projetor, um pequeno parafuso com porca, cola, fita dupla face e tesoura.  Maiores instruções de montagem podem ser encontradas neste endereço: Modelo de Planisfério para o Brasil.

Veja o resultado da confecção na figura abaixo.

Planisfério

Modelo de planisfério confeccionado.

Mais informações sobre o planisfério acesse:

Quer um Atlas Celeste?

Feira de Ciências Municipal

Tags

, , ,

Hoje, nove de agosto, aconteceu no Ginasio Esportivo José Carlos Pasa a Feira de Ciências Municipal, onde os estudantes das escolas públicas e particulares apresentaram seus trabalhos. O evento foi organizado pela parceria entre CEFAPRO de Sinop, SECITEC, Unemat, UFMT, Assessoria Pedagógica e Prefeitura de Sinop.

Também se fez presente o Clube de Astronomia Amadora da UFMT, que disponibilizou com o apoio da UFMT, telescópios para a observação dos planetas Marte e Saturno. A seguir apresentamos algumas fotografias da atividade.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Na imagem abaixo é possível observar três pontos brilhantes no formato de um triângulo, estes são: Spica (estrela Alpha da Constelação de Virgem) à esquerda; Saturno à direita e Marte mais abaixo.

Observação dos planetas Marte e Saturno na Feira de Ciências Municipal. Fotógrafo: Everton Botan

Conjunção de Júpiter, Vênus e Aldebaran

Tags

, , , , , ,

Conjunção em 6 de Julho: do quintal de minha casa.

Na madrugada do dia 6 de Julho, acordei as 4h, lavei o rosto e fui para a varanda com a máquina fotográfica, o tripé e o telescópio. Antes das 4:30h da manhã a observação de Vênus e Júpiter foi um pouco trabalhosa, pois havia muita turbulência, pelos astros estarem muito próximos ao horizonte. Abaixo apresentamos uma foto mostrando a conjunção, na parte superior ao meio estão as Pleiades, mais abaixo temos Júpiter, Vênus e Aldebaran, estrela Alpha da Constelação de Touro, que aparece no plano de fundo da conjunção.

Imagem de: Pleiades, Júpiter, Vênus e Aldebaran.

Imagem da conjunção a partir do quintal de casa: na sequência: Pleiades; Júpiter; Vênus e Aldebaran. Fotógrafo: Eveton Botan.

Conjunção em 15 de julho: ida à UFMT

Esse amanhecer do dia foi um tanto quanto esperado e divulgado por alguns sites de notícias e blogs de astronomia, mas o que há de especial neste dia? Nada mais que um belo arranjo à leste, antes do amanhecer, composto pela Constelação de Touro, as Plêiades, a Lua e os planetas Júpiter e Vênus. Pudemos observar uma figura parecida com um paralelogramo formado pela Lua, os dois planetas e a estrela Aldebaran, como pode ser visto pelas fotos a seguir.

Conjunção 15 de julho de 2012

Conjunção dos planetas Júpiter (acima da Lua) e Vênus (à direita da Lua), da Lua e da estrela Aldebaran (acima de Vênus). Fotógrafo: Marlon da Silva Custódio.

A imagem a seguir mostra uma visão ampla da conjunção, mostrando as Constelações de Touro e Órion.

Conjunção 15 de julho de 2012.

Vista da conjunção a partir da UFMT. Pode-se observar as Plêiades à esquerda, a conjunção com plano de fundo formado pela Constelação de Touro e à direita a constelação de Órion, onde observamos as Três Marias. Fotógrafo: Everton Botan.

Ao nascer do Sol fotografamos as cores no horizonte com a bela imagem da conjunção.

Imagem das cores no horizonte e da conjunção. Fotógrafo: Everton Botan.

Para quem não dispensa, registramos, com o auxílio do telescópio, uma bela imagem da Lua em fase minguante, veja:

Lua minguante 15 de julho de 2012

Lua minguante de 15 de Julho de 2012. Fotógrafo: Everton Botan.

Por fim, os aventureiros (Eu à esquerda e Marlon à direita) que acordaram três e meia da manhã para ir à UFMT contemplar esta bela paisagem.

Os aventureiros de 15 de Julho.